A massagem tântrica

Depoimentos de massagem tântrica, nada melhor para você que ainda não conhece sobre a massagem tântrica ler esses depoimentos e ver como é de fato a sessão tântrica comigo, o terapeuta Dan.

Bom, estou inaugurando esta área de relatos, tive que tirar esta área do meu antigo blog porque onde trabalhava estavam achando ruim eu postar os relatos da massagem tântrica, mas como agora tenho minha própria clínica não há mais problema e ninguém mais para encher meu saco rs. Quero postar ao menos um relato por mês, sim, é pouco, mas é impossível postar todos os relatos, peço perdão, mas vou procurar postar relatos que sintetizam melhor o tantra para você que não conhece meu método conhecer melhor. Todos os relatos aqui postados foram devidamente autorizados pelas clientes e não há nenhuma informação que irá identificar qualquer que seja a minha cliente que não seja autorizado. Atenção, tudo que eu escrever diz respeito a mim, ao terapeuta tântrica Dan, os outros terapeutas que fazem parte do Massagem Tântrica BH não necessariamente atendem assim.

Relato de Novembro de 2016: 

Sessão com Gabriela

Bom, a Gabriela tem 30 e poucos anos, mãe de 2 filhos. Estávamos conversando há cerca de 2 meses e ela tinha muitas dúvidas em relação ao tantra e ao meu método. Ela tinha feito a massagem tântrica por meio de outro terapeuta que contactou através do instagram e não tinha se excitado muito, eu expliquei pra ela que o que acontece atualmente, que tudo visa o dinheiro, o tempo é cronometrado, 1h30 minutos, nem um minuto a mais, é usado luvas, o profissional fica “distante” e não há qualquer tipo de interação, nada é natural! Eu acho engraçado profissionais do tantra, logo do tantra, serem tão robotizados e tão cheios de regras, “aí não pode tocar, ai tenho que usar luvas, ai tenho que usar roupas, ai não pode isso, nem aquilo, no fim não pode nada”. No tantra não há regra, a regra é se libertar, se conhecer e aproveitar a massagem! Eu expliquei ela que o tantra é milenar e que foi passando por transformações, que o meu método tem como base práticas tântricas realizadas no Chile a partir de 1990 que eu trouxe para o Brasil, que tinha certeza que ela ia gostar (de cada 1.000, 999 gostam, ok não atendi 1.000 ainda rs, mas o índice de aprovação é muito alto, tanto que a maioria que me procura é por indicação), que se não gostasse não precisava nem pagar, ela veio já com confiança que a massagem ia ser boa e falou que tinha lido meu site todo.

Bom, quando ela chegou na clínica, dei um abraço bem forte nela pra já passar boas energias, nos cumprimentamos, ofereci a ela uma água, ela aceitou. Conversamos um pouco, ela estava visivelmente nervosa, mas é absolutamente natural, mesmo a mais desinibida quando marca a primeira sessão fica sim um pouco retraída. Ela fez umas perguntas, perguntou se era pra tirar a roupa de cara meio que brincando, eu falei que ela poderia ir no banheiro se trocar e eu disponibilizei uma toalha para ela. Ela preferiu assim. Passados alguns segundos ela voltou só de toalha, com sutien e calcinha ainda (depois iria perceber). Acendi as velas, apaguei as luzes, coloquei a minha playlist só com música de total relaxamento tântrico e pedi pra ela se deitar, a princípio gosto de pedir para todas se deitarem de barriga pra baixo, pra fazer a sensitive e ela relaxar totalmente. Também ofereci a ela uma venda para os olhos, ela aceitou. Comecei, então, a massagem sensitive, sempre sempre sempre começo por ela, pois o meu primeiro objetivo é fazer a cliente relaxar, tirar o nervosismo e é tiro e queda. Essa sessão de sensitive é muito relaxante, ela me perguntou até se não teria problema dormir hahaha. Só a sensitive já é muito gostoso, a sensitive no caso é uma massagem pra aliviar a tensão, são movimentos por todo o corpo, não coloco muita força na mão, mas também não coloco pouca força, é na medida. Não uso só as mãos, uso o braço, os dedos por todo o corpo. Voltando à sessão com a Gabriela, eu começo com a massagem pelas costas, são movimentos sem pressa, enquanto isso a música ao fundo, o cheiro agradável (sabemos que mulher é muito ligada a isso), o ambiente escuro a Gabriela foi relaxando e ficando menos nervosa, logo começo a massagem nos braços e vou descendo suavemente até as mãos. A mão é o primeiro ponto mais importante, ela traz confiança, traz mais intimidade, o terapeuta e a cliente (que a partir de agora não é mais cliente) começam a ter uma conexão bem forte a partir desse toque bem profundo nas mãos, a Gabriela já estava totalmente à vontade a partir de aqui, totalmente relaxada e disposta para receber a massagem tântrica. Eu também foco em alguns pontos, como no pulso, na parte da nuca que são comprovadamente bons para tirar o nervosismo, também foi feito isso na massagem com a Gabriela. Após a parte das mãos, tirei a toalha dela, e ela ficou só de calcinha e sutien. Continuei a fazer a sensitive, desta vez nas coxas, pernas e pés. Nessas partes posso pegar com mais firmeza, sem claro exagerar para não machucar e perder o clima da massagem. Minhas mãos deslizavam muito bem pelas suas coxas, o creme que uso é fantástico para massagem, devo admitir. Desci para as pernas e fui fazer a massagem nos pés. Os pés é outra região importante a ser explorada, eu faço a massagem em toda a parte, desde os dedos até a parte próxima ao calcanhar. É uma massagem bem gostosa, um pouco mais suave na parte dos pés. Termino a massagem nos pés e vou subindo, desta vez tiro a calcinha dela, mas ainda não é momento de começar a massagem tântrica rs. Desta vez massageio o bumbum dela, chego bem perto da parte íntima, mas ainda não a toco. Volto a subir e tiro seu sutien, já se passaram 30 minutos de massagem…

Meu próximo foco agora é a excitação! Muitas já estão totalmente excitadas, outras ficam totalmente relaxadas, no caso da Gabriela ela estava mais pra relaxada, então é hora de excitar. A massagem para excitar tem alguns ingredientes a mais, eu fui bem perto do ouvido dela e falei bem baixo: ”Está pronto para chegar ao êxtase, Gabriela?” Ela só respondeu: ”Sim”. Comecei então a massagem visando a libido dela, é uma massagem feita nas costas, pego desde a parte próxima aos ombros e vou até na parte do encontro do bumbum, minha mão começa a “crescer”, parece até que eu estou excitado e isso é muito importante, passar essa excitação para ela, exploro zonas erógenas, vou descendo e tenho o primeiro contato com a vagina, é um toque bem sutil na vagina para ver se ela está excitada. E já estava. Aí que entra a parte que diria que é a parte da tortura da massagem, que a mulher fica completamente excitada. É a parte de explorar suas áreas erógenas, Gabriela já estava excitada, e já tinha reparado através da sensitive quais áreas erógenas ela tinha mais tesão. E comecei a explorar, primeiro foi na coxa, depois na região do bumbum, fui subindo das costas até chegar no ponto que era o ápice dela, a parte da nuca. Nessa hora pode acontecer de mim, o terapeuta se excitar, pois é muita energia envolvida e de fato estava excitado também, muito excitado, mas uma coisa que aprendi no tantra é a me controlar e continuei com a sessão da tortura hahaha. Só nessa parte ela já havia atingido múltiplos orgasmos, sim, ela estava tendo orgasmo sem parar e eu NEM TINHA COMEÇADO a massagem yoni. Mas é natural atingir o orgasmo antes, pois o corpo está num profundo estado de relaxamento, depois começa a se excitar, e não é uma massagem qualquer, o tantra tem poder, pode apostar. O que mais dá tesão nelas é a vontade de transar, mas elas sabem que não podem (e nisso eu tenho total controle), então essa vontade que quase todas tem e a Gabriela tinha muito é a chave para muitos ensinamentos do tantra, principalmente em relação ao orgasmo. E sinceramente, é muito melhor que sexo! Retornando à massagem, após atingir o múltiplo orgasmo eu pedi pra ela se virar. Comecei a fazer a massagem tântrica, a vagina dela estava encharcada, e quando é assim é muito fácil fazer a massagem, não precisa nem de óleo! Comecei a fazer pela parte externa, como sempre faço, dei uma “acalmada” nela, que é essa primeira parte da massagem, mas logo em seguida fui pra parte interna e como ela estava muito excitada ainda eu comecei a fazer a massagem do ponto G e não deu outra, ela gozou 7, 8 vezes ali fácil. Tive que parar porque ela não tava mais aguentando rs. Então paramos, ela ficou deitada um tempo e fui pegar água para ela, pra ela poder descansar um pouco, ofereço também sempre um banho para quem achar melhor. 

Depois da massagem ela veio me falar que nunca gozou tanto na minha e nunca sentiu um orgasmo tão forte e intenso. Fico muito feliz com isso! Não é preciso de sexo, de sexo oral, nada disso para atingir um dos melhores orgasmos da sua vida, basta um pouquinho apenas de sensualidade e o resto é só deixar com o tantra!

3 comentários sobre “A massagem tântrica

  1. adoreiii sua massagem, pelo amor de deus, quando terei outra? seu whatsapp não está pegando Dan, nao consigo falar com vc, nao vejo a hora de sentir seu corpo, sua mão suavemente me massageando, seus incriveis toques pelo meu corpo, vc foi mais do que pensei, desculpa ter sido um pouco chata kkkk

  2. Ei Dan!!! Gostaria muito de agradecer pelo carinho, paciEncia, educação e pela segurança que me passou não só durante a massagem mas desde o primeiro contato. Confesso que fui muito chata e desconfiada rsrs… desculpe por pedir a comprovação, mas é sempre bom se averiguar, hoje em dia tem muito picareta por aí mas graças a Deus deu tudo certo

    gostaria de falar para todas as meninas que estão lendo, que parem de deixar o machismo te controlar, que deixem o preconceito e seus medos de lado e experimentem logo essa porra! Eu gozei como nunca, eu fui bem tratada como nunca, por mim vc seria meu namorado e olha que sou lésbica HAHAHAHAHA

    Cara, eu gostei demais de vc, eu quero demais marcar essa segunda sessão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *